Pronunciamento do governador Fernando Pimentel durante solenidade de abertura da Safra de Cana do Brasil

  • ícone de compartilhamento

Boa tarde a todos!

É uma felicidade estar aqui no Triângulo Mineiro, uma região de terra boa e gente ainda melhor. Eu vim sobrevoando aqui e pensando: mas gente, que maravilha essa região. Você olha, toda plantada, toda verdejante, toda cultivada... Mas o mais importante não é a terra, são as pessoas que estão aqui, e são a elas que eu dedico a minha admiração e a minha retribuição.

A alegria é grande de estar entre amigos aqui do Triângulo Mineiro. Alegria também de estar nesse setor, setor importantíssimo para Minas Gerais e para o Brasil. O setor de cana, do etanol e açúcar, e agora também de energia, a cada dia mais modernizado, a cada dia mais socialmente comprometido, ambientalmente comprometido. Enfim, um setor que é referência do agronegócio no mundo inteiro. Então eu acho que nós estamos no lugar certo, com as pessoas certas, comemorando o evento certo, que é abertura da safra de cana no Brasil.

E deveria ser um evento comemorado internacionalmente, dada a importância da atividade de vocês para o conjunto da economia do mundo hoje. O combustível barato, o combustível ambientalmente correto, além das outras vantagens e virtudes que tem esse trabalho.

Então, estou muito feliz por estar compartilhando isso com vocês. Um setor muito organizado, muito bem representado pela Siamig, que trouxe aqui, na fala do Mario, um pedido que é também uma sugestão, e eu já estou cuidando disso, eu queria até dizer para você e para todos os amigos produtores aqui que nós vamos retomar a Lei 1838, que é a Lei das PPPs que possibilita as construções.

Nós vamos criar um grupo de trabalho e queria que a Siamig participasse, com a Secretaria da Fazenda, com a Secretaria da Agricultura, para, em um prazo curto de 30 a 60 dias no máximo, fazermos um aperfeiçoamento da lei, para colocá-la outra vez em funcionamento.

Eu gostaria de encerrar dizendo de um outro sentimento muito forte, que é o sentimento de esperança. Nós estamos vivendo um momento muito dramático no Brasil. Todos nós aqui sabemos da gravidade das coisas que estão acontecendo. Uma crise econômica, uma crise política, uma crise institucional muito séria, como talvez nunca tenhamos tido na República.

E o que nós vamos fazer, o que é que nós podemos fazer? Eu sempre digo a mesma coisa: nós só temos um caminho, que é trincar os dentes e ir trabalhar. É o que o mineiro sabe fazer de melhor. Eu costumo dizer que, de todos os estados brasileiros, Minas Gerais é o único que tem na sua denominação de origem uma profissão. Uns são cariocas, outros são paulistas, outros são pernambucanos ou gaúchos. Isso tudo é denominação geográfica. A nossa não. Nós não somos padeiros, nem carpinteiros, nem serralheiros. Nós somos mineiros. Mineiro é quem trabalha na mina.

Então, dizem que um político célebre em Minas disse que o primeiro nome de Minas Gerais é liberdade. Eu concordo, mas o segundo é trabalho. É isso que nós sabemos fazer e vocês são exemplos disso. Vamos vencer a crise trabalhando.

Então, muito obrigado, acho muito justa a homenagem que nós estamos prestando ao setor. Vamos trabalhar por Minas Gerais e pelo Brasil.

Obrigado!